E que quer isso dizer ó Jorge? Pois não sei bem. Acordei naturalmente, desloquei pé ante pé até ao espaço de trabalho habitual: 30 metros quadrados só para mim; tomei café pelo caminho com um bolinho de alfarroba, sentei a bunda e desatei a teclar.

Tenho a impressão que já escrevi para cima de 2000 palavras nesta manhã: um artigo no blog da Active, a revisão dum texto para portfolio, alguns emails pelo meio; e quando comentava toda esta energia, veio ter comigo a palavra hiperventivo.

Hiperventivo: isso existe?

Pois lá está, é o que ela diz. Não faço ideia, temo que não, mas vamos lá procurar a ver o que encontramos.

Hoje acordei hiperventivo 1
Não Google, não quero preventivo…

Ora, aparentemente não existe. Então criei uma nova palavra. Onde se submetem palavras para dicionário?

Mas vamos lá olhar para as opções do moço e perceber se há aqui alguma relação.

  • Primeiro resultado… disturbios neuróticos, não vou aprofundar.
  • Segundo, hipertensão: check.
  • Terceiro, parece o primeiro, nada a dizer
  • Quarto, sindrome de desmaio… é um sintoma sim, sinto-me hiper, altamente focado, com os dedos em brasa, e muitas vezes isso parece um sentimento de desmaio
  • Sexto: sim, parece que é isto, mas não vou traduzir porque tenho medo do resultado.

Então e agora? Tem cura?

A primeira cura pode ser ir buscar um café.

A segunda, escolher uma playlist para me acalmar, talvez algo do genero Nature Sounds

Depois … aproveitar o ritmo e continuar a ser hiperventista o resto do dia porque isto está a render.

Até logo

Photo by Robert Anasch on Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *